COMPAIXÃO PACIENTE E PACIÊNCIA COMPASSIVA


COMPAIXÃO PACIENTE E PACIÊNCIA COMPASSIVA
Relatório da Energia Astrológica de Outubro de 2014
Sarah Varcas
30/09/2014


Começamos outubro com Urano e Quíron enfatizando a necessidade de encontrar novas maneiras de acomodar e curar ferimentos e mágoas nos níveis pessoal e coletivo. Eles vêm trabalhando juntos nessa questão desde junho, expondo os pontos em que estamos mais feridos e, ao mesmo tempo, oferecendo recursos para avançarmos no processo de cura e incorporação da totalidade.

A primeira semana de outubro transcorre dentro do contexto de uma quadratura entre Marte e Quíron, que nos lembra que a importância de curar vem junto com a responsabilidade de fazê-lo, não só para o nosso próprio benefício, mas de modo a contribuir para devolver o equilíbrio à coletividade.

A cura que ocorre em nossas mentes e corações e dá frutos em nossa vida é simplesmente um minúsculo microcosmo do reequilíbrio necessário à consciência coletiva, à qual cada um de nós acrescenta sua ressonância exclusiva.

Com a nossa contribuição, recebemos em troca a ressonância do todo para alimentar nossa jornada. Portanto, é de nosso total interesse assegurar que nossos oferecimentos venham de um coração pacífico e de uma mente desperta.

Nos dias de hoje, ouvimos muito sobre curar, mas menos sobre acomodar ferimentos, permitindo que eles estejam onde estão sem a necessidade de removê-los dali. Esta disposição de reconhecer a presença do sofrimento e não interferir é um tema poderoso no início deste mês.

Não estamos falando da apatia nem da perda da esperança que nos levem a acreditar que nunca mudaremos ou que o mundo já está condenado. Em vez disso, os céus apontam para a necessidade de paciência compassiva, que nos permita ser imperfeitos na dor, lutando sem necessidade de interferir para fazer as coisas “direito”. Eles nos lembram que o “direito”, o “certo”, é o que está acontecendo no momento e não uma versão particular da vida de nossa preferência.

Se estivermos sofrendo na primeira semana de outubro – seja fisicamente, emocionalmente, mentalmente ou espiritualmente – o maior erro que poderíamos cometer seria presumir que isto indica que algo está errado e não estamos “tão adiantados” quanto pensávamos.

Agora é o momento de abandonarmos todos os julgamentos desse tipo e simplesmente acomodarmos a dor por enquanto. Convidem-na para entrar. Ouçam-na como o fariam com uma criancinha que tivesse algo importante a dizer. Abram espaço para a dor e, então, simplesmente sejam.

Este é o melhor conselho para a primeira semana de outubro, pois se conseguirmos agir assim, contribuiremos para uma onda crescente de compaixão paciente e paciência compassiva, que reconhecem que a vida é intensamente complexa, assim como nós, e que curar leva tempo.

Somos seres de múltiplas camadas e todos os tipos de elemento, ao longo do tempo e espaço, precisam se alinhar de um modo curador para que cada camada mude e se transforme.

A aplicação da astrologia nos ensina isto todos os dias: que estamos num processo que possui sua própria forma e seu próprio ciclo. Nossa responsabilidade é respeitar esses ciclos – não tentar contorná-los – trabalhar conscientemente com eles de tal modo que maximizemos o potencial de cada momento.

Desejar a cura JÁ, quando o ciclo diz “espere um pouco e seja gentil com a dor”, simplesmente traz mais sofrimento. É hora de entender que não estamos aqui para controlar, mas para viver o que a vida nos apresenta. Há uma diferença aí.

No dia 4 de outubro GMT, Mercúrio começa seu ciclo de retrogradação que continua até 25 de outubro, quando estacionará direto. Desta forma, ele nos chama a atenção ao fato de que talvez tenhamos perdido alguma coisa recentemente, que poderia se revelar uma peça importante do quebra-cabeça. No nosso afã por progresso, é fácil negligenciarmos o obstáculo que poderá vir a nos derrubar se não o levarmos em consideração agora.

Ao estacionar retrógrado neste momento, Mercúrio puxa os freios por uns instantes e pede que olhemos para trás, para as situações que vivenciamos recentemente, e tentemos ver o que talvez não tenhamos percebido nessa ocasião, intencionalmente ou não.

Pode ser que tenhamos dito apressadamente a nós mesmos que determinada questão não tinha importância e que se a ignorássemos ela desapareceria; ou talvez nem tenhamos percebido que a contornamos.

Mas, ao darmos as mãos a Mercúrio retrógrado, temos a oportunidade de lançar um novo olhar sobre o passado recente e enxergar o que precisa da nossa atenção.

Observemos, em especial, as reações emocionais recentes:

Alguma coisa o assustou, mas você simplesmente disse a si mesmo que estava sendo tolo?

Você teve uma intuição sobre alguém – positiva ou negativa – mas a colocou de lado?

Você recusou uma oportunidade quando cada fibra do seu ser estava gritando “Sim!”, só porque sua mente disse “Oh, não! É arriscado demais!”?

Ou talvez você tenha assumido o risco sem ouvir o alerta do seu coração que sussurrava “Ainda não. Espere…”?

A boa notícia é que seja o que for que Mercúrio quer que vejamos agora, ele o deseja porque ainda há tempo de fazermos as coisas de modo diferente. Esta é a nossa chance de rever e reformular o que for necessário.

E como o tema atual é a paciência, essa reformulação pode ser simplesmente esperar tranquilamente – alertas, mas quietos – por um momento mais propício para a remodelação dos nossos planos.

Entre os dias 4 e 8 de outubro, teremos um Grande Trígono em Fogo inflamando os céus e nossos espíritos junto com eles. Podemos assumir esse fogo como nosso, ao embarcarmos num mês com muito a nos ensinar sobre a questão do tempo: do nosso, do divino e de tudo o mais!

Com o fogo vem a inspiração e o otimismo. Abastecermo-nos dessas qualidades não nos fará mal nenhum; e um bom uso dessa energia é fazer um rápido inventário das forças internas que temos para nos sustentar em nossa jornada.

Entretanto, o fogo traz também impaciência, excesso de confiança e um desrespeito imprudente pelas leis naturais que afirmam que se pularmos de um penhasco sem asas, nós cairemos, e se pularmos no fogo sem proteção, nós nos queimaremos. Então, é necessário equilíbrio em todas as coisas, para colhermos as dádivas do fogo sem as consequências do desrespeito por ele!

No dia 8 de outubro haverá um eclipse lunar total em Áries às 10h56min GMT.
Com a Lua em conjunção com Urano, ele fala de libertação e despertar, de choques e surpresas.

Os sentimentos podem se exaltar, mas uma aliança positiva entre Marte e Júpiter nos oferece esperança e ânimo para enfrentar os desafios, lembrando que a alquimia exige altas temperaturas para se realizar!

 Se você estiver sentindo como se estivesse num forno neste momento, saiba que os céus estão concentrando seu poder em você, não para derretê-lo de modo a nunca voltar à sua forma original, mas para queimar as impurezas a fim de que as dádivas preciosas da vida sejam reveladas.

Entretanto, apesar da presença de Urano, mestre da surpresa e da mudança rápida, os frutos deste eclipse levarão tempo para amadurecer, com os processos desencadeados agora culminando em março de 2015, o que é outra boa razão para acolhermos a mensagem de paciência, compartilhada no começo deste mês!

Tudo chega para aquele que espera e, embora este eclipse possa oferecer alguma contribuição inesperada, seus resultados não se apresentarão plenamente antes de certo tempo. Então tomem cuidado para não julgar seu valor cedo demais. Ainda há muito a ser revelado no devido tempo.

Nos primeiros dias depois do eclipse, teremos algumas energias bastante otimistas chegando até nós, com o Sol, Marte, Júpiter e o Nodo Norte alinhados, para nos lembrar que compromisso e fé são muito valiosos quando se trata de enfrentar obstáculos e desafios.

Eles não falam de uma fé cega e esperança de Pollyana, mas de uma fé profunda, nascida naquele que já enfrentou obstáculos antes, que já caminhou a senda do despertar por algum tempo e conhece seus altos e baixos, armadilhas e bênçãos.

Eles falam de saber que reparos rápidos não são consertos verdadeiros e que o envolvimento profundo com o processo de transformação interior e exterior nos ensina muito sobre a natureza do tempo e espaço e dos ciclos da vida, aos quais todos nós estamos sujeitos.

Eles nos lembram que nossas próprias vidas são meros ciscos no universo infinito e que aceitar esta perspectiva mais ampla pode fazer maravilhas para a nossa capacidade de lidar com seus aspectos mais difíceis, de modo a incorporarmos suas bênçãos maiores no momento oportuno.

De fato, neste momento, os céus apontam, não só para nossas próprias vidinhas, mas também para o vasto infinito no qual nós as vivemos, lembrando-nos que os frutos do momento presente podem nos esperar nos reinos e dimensões ainda a serem revelados. Paciência, mais uma vez, é a palavra-chave agora.

No entanto, esta ênfase na paciência não é para dar a entender que nada está acontecendo! Abaixo da superfície está ocorrendo todo tipo de mudança, embora seus frutos ainda estejam para ser revelados. De fato, se tentarmos forçar um amadurecimento prematuro, poderemos acabar esmagando-os em vez de colhê-los no momento apropriado.

Do dia 18 de outubro até o fim do mês, veremos uma conjunção entre Vênus e o Sol - primeiro em Libra e depois em Escorpião – que nos convida a aproveitar o processo neste momento.

Independentemente do que estiver acontecendo em nossa vida, somos encorajados a encontrar prazer e a nos identificarmos com a harmonia em lugar da luta, com a paz em lugar da discórdia.

Isto é mais fácil de ser dito do que ser feito, quando a vida está nos apresentando dificuldades; mas aqui temos a oportunidade de dar um passo para o lado e escolher dar um tempo, em vez de lutar contra forças grandes demais para serem subjugadas.

Pode até nos parecer que é irresponsabilidade relaxar e dar um cochilo enquanto tantas coisas estão nos pressionando por atenção… mas isto é o que estamos sendo encorajados a fazer! Agora não é um momento para ação, mas para a criação de um espaço no qual decisões eficazes possam ser tomadas no devido tempo, assim que tivermos nos recomposto e recarregado totalmente nossas baterias.

O dia 23 de outubro verá um eclipse parcial do Sol em Escorpião (21h46min GMT), em conjunção com Vênus, ainda destacando a necessidade de nos familiarizarmos com o processo de transformação, de tal modo que possamos relaxar e permitir que ele ocorra conforme o necessário.

Este eclipse nos lembra que nem sempre precisamos estar sentados no banco do motorista e que é muito favorável sentar atrás e aproveitar a viagem, mesmo quando as coisas nos parecem intensas e temos certeza de que DEVERÍAMOS ESTAR FAZENDO ALGUMA COISA!

Qualquer eclipse em Escorpião nos leva a águas profundas, mas este nos oferece um tanque de oxigênio e todos os equipamentos de mergulho necessários para desfrutarmos a descida em vez de ficarmos aterrorizados com ela!

Ele nos lembra que geralmente a disposição para acolher a escuridão é o que lança a luz necessária para navegá-la. A resistência é inútil – os céus nos dizem agora – e embora isto possa parecer uma mensagem destrutiva, na verdade é uma mensagem de esperança, pois significa que podemos deixar ir, descontrair e ainda fazer o trabalho profundo necessário para o verdadeiro renascimento.

Não precisamos ficar deprimidos ao encontrar os desafios. Podemos ficar relaxados e achar graça nisso! Sim, isto em si mesmo é um desafio, mas um desafio com o qual vale a pena se envolver. Pode ser que simplesmente descubramos uma forma totalmente nova de surfar as ondas da mudança, com um sorriso em nossos rostos…

Mercúrio estaciona direto em 25 de outubro, completando sua passagem retrógrada e iniciando sua volta para onde estava no começo deste mês. O que tivermos aprendido nesse ínterim será informação importante, se quisermos cumprir os compromissos assumidos em julho, agosto e setembro.

Aprendemos muito sobre temporização este mês e talvez tenhamos que repensar alguns dos nossos planos anteriores para incorporar o que agora sabemos. Aprendemos também muito sobre atitude e a necessidade de soberania sobre nossa própria mentalidade e abordagem da vida. Estas lições, inclusive, serão úteis quando avaliarmos nossos planos para o futuro.

Embora a vida não esteja prestes a tornar-se extremamente fácil, quando conseguimos manter um nível maior de tranquilidade independentemente do que estiver acontecendo, ficamos numa posição muito mais forte para seguir em frente e criar as mudanças necessárias no momento certo. E com uma atitude firme e positiva, saberemos qual é esse momento, quando ele chegar, e estaremos prontos para agir apropriadamente.

Enquanto o mês vai chegando ao fim (assim como a temporada de eclipses), somos lembrados de que ao mesmo tempo em que é fácil sentir a pressão dos desafios da vida, uma mudança de perspectiva nos possibilita acessar a paz nos momentos de conflito, prazer nos momentos de desconforto, e esperança nos momentos de desespero.

Cultivar a capacidade de escolher nossa paisagem interior, em vez de deixar que ela seja definida por eventos externos, é uma força poderosa que pode nos conduzir através de todo tipo de dificuldades.

Para isto, não temos que negar a dor ou simplesmente pensar algo positivo para contrabalançar um pensamento negativo, mas reconhecer que a vida, em toda sua complexidade, pode nos dar grande dor e grande prazer no mesmo momento, pode nos oferecer esperança e desespero como uma coisa só, assim como conforto e doença como parte do mesmo pacote.

E sempre temos a opção de escolher entre uma polaridade e outra, ou de acolher tudo em sua totalidade, passando a conhecer a vida de dentro para fora, com um grito de alegria, um gemido de desespero e tudo o que existe entre esses extremos.



Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/10/compaixao-paciente-e-paciencia.html
© Sarah Varcas - http://astro-awakenings.co.uk/october-2014-astro-energy-report
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br
Grata Vera!

Extraído de: http://stelalecocq.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

CÍRCULO DE LUZ E AMOR DE MARIA - MENSAGEM RECEBIDA AOS 07.03.2017 POR JANE RIBEIRO

O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch®

O EVENTO FINAL